Eduardo Souto de Moura – Ganhador do Pritzker 2011

Eduardo Souto de Moura

O segundo arquiteto português a ganhar o “Nobel da Arquitetura” tem 58 anos e nasceu em Porto, Portugal. Seu pai era oftalmologista e sua mãe dona de casa. Tem um irmão advogado e uma irmã também oftalmologista.

Em uma ramo onte experiência é tudo, estudou na Escola de Belas Artes de Porto, no começo estudando escultura, mas acabando por se formar em arquitetura. Equanto ainda estudante trabalhou para Noé Dinis e Álvaro Siza, com o último trabalhou por mais de 5 anos. Sua carreira profissional como arquiteto independente começou com um Centro Cultural em Porto.

É casado com uma arquiteta e tem três filhas, das quais uma é arquiteta e outra está no terceiro ano do curso de arquitetura na Universidade do Porto. Imaginem como é ter como influência dentro da família um arquiteto tão respeitãvel como Souto de Moura.

O júri do prêmio destacou entre os projetos mencionados a obra do Estádio Municipal Braga, mais conhecido como o estádio AXA, construído numa antiga pedreira.

“Quando recebi a chamada a dizer que eu seria laureado com o Pritzker, eu nem queria acreditar. Depois recebi a confirmação que era mesmo verdade, e então percebi a grande honra que é. O fato de ser a segunda vez que um arquiteto português é escolhido torna isto ainda mais importante”, disse Souto Moura, citado no comunicado.

Estádio Municipal Braga

Estádio Municipal Braga

“Durante as últimas três décadas, Eduardo Souto Moura produziu um corpo de trabalho que é do nosso tempo mas que também tem ecos da arquitectura tradicional. Os seus edifícios apresentam uma capacidade única de conciliar características opostas, como o poder e a modéstia, a coragem e a subtileza, a ousadia e simplicidade – ao mesmo tempo”, pode-se ler no comunicado emitido pelo júri do prêmio.

Este prêmio, fundado em 1979 por Jay A. Pritzker e sua esposa Cindy, tem a honra de homenagear um arquiteto em vida cujo trabalho demonstre a combinação de diversas qualidades como talento, visão e compromisso, que tenha produzido contribuições consistentes e significantes para a humanidade e o meio ambiente construído através da arte da arquitetura. O ganhador recebe U$100 mil dólares e um medalhão de bronze. Este ano a cerimônia de entrega do prêmio acontecerá em junho em Washington D.C.

Medalhão de bronze entregue para cada laureado. O design é de Louis Sullivan, famoso arquiteto de Chicago, EUA, conhecido como o "pai" dos arranha-céus.

 

Casa em Bom Jesus

Casa em Bom Jesus

Burgo Tower

Burgo Tower - prédio de escritórios e shopping comercial

Perguntado sobre Porto, cidade onde nasceu e trabalha, disse que a cidade “adquiriu um novo turismo, gente nova, muitos deles arquitetos”. E “já há um turismo de arquitetura”.

O arquiteto defendeu uma nova abordagem para a arquitetura, para que seja possível fazer face à crise econômica e financeira do país que “parou” o setor. “Temos que arranjar instrumentos, não pode continuar o mesmo tipo de arquitetura”, disse Souto de Moura.

Portugal “tem 22 mil arquitetos, há demasiadas escolas”, considerou. “Preocupa-me a situação, porque os jovens arquitetos vão ter que emigrar, porque não há mercado”.

Só “uma overdose de optimismo” pode servir de alavanca para dar a volta a situação.

O arquiteto adiantou já estar trabalhando no discurso que fará quando o Pritzker lhe for entregue, no dia 2 de Junho, que abordará a necessidade da arquitetura se adaptar à crise.

Acredito que é interessante esse ponto de vista, mas se ele está preocupado com o número excessivo de arquitetos em seu país, com 11 milhões de pessoas, como estamos então no Brasil, com mais de 100 mil arquitetos e cerca de 6 mil formandos todos os anos? Segundo Daniel Amor, presidente do sindicato dos arquitetos de São Paulo, “o mercado está em expansão e ainda somos muito poucos profissionais”. Será que quantidade equivale em qualidade?

Casa em Serra da Arrábida, Portugal

Casa em Serra da Arrábida - interior

Museu Paula Rêgo

Museu - interior

Para terminar eu deixo uma citação do arquiteto:

“Para mim, arquitetura é uma questão global. Não existe arquitetura ecológica, nem arquitetura inteligente, nem arquitetura sutentável – há somente uma boa arquitetura. Sempre existem problemas que nós não devemos negligenciar; por exemplo, energia, recursos, custos, aspectos sociais – deve-se sempre prestar atenção a todos estes”.

Fontes: publico.pt, pritzkerprize.com, wikipedia, porto24.pt, g1.globo.br

Anúncios

2 responses to “Eduardo Souto de Moura – Ganhador do Pritzker 2011

  1. aleluia! agora só falta cancelar o Pritzker da Zaha Hadid, Rem Koolhas, etc. e dar para arquitetos de verdade.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s