Prédios em campus universitários precisam ser quadrados??

Não é o caso desta construção na Austrália, no campus da faculdade Warrnambool.

O novo prédio do campus da universidade Warrnambool da empresa australiana Lyons’ , tem uma fachada de vidro composto de aberturas hexagonais inclinada para baixo em direção à rua.

O novo prédio funciona como um limite entre a cidade e o campus privado, e abrigará habitação, escritórios, anfiteatros e salas de reuniões.

As aberturas de vidro têm uma estrutura de aço acabado com zinco, e fornecem protecção solar e ventilação natural.

A entrada principal fica através de uma parede de vidro por baixo destas aberturas.

A parte detrás do prédio forma um grande pátio interno.

O edifício tem aproximadamente 2.870 metros quadrados de área construída, distribuídos em três níveis, e acomoda uma se´rie de coisas diversificadas, incluindo os serviços campus estudantil ao nível do solo, a administração do campus e da direcção no primeiro andar, e um centro de conferências e outros espaços de aprendizagem em geral no terceiro andar.

A fachada da entrada principal, na rua Timor, está voltada para o norte, e o seu contexto e orientação sugeriu algumas estratégias ao projeto.

Em primeiro lugar a circulação principal do edifício está localizado na rua, como uma extensão do espaço cívico – como a trilha repetida em três níveis. Isto é combinado com o conceito da própria parede sombreada, acomodando os parâmetros de desempenho ambiental de sistemas de ventilação natural e sombreamento, permitindo que a fachada da rua ser tanto sombreada e transparente, tornando a circulação visível para a rua.

Para atingir estes objectivos foram adquiridos materiais para as geometrias de sombreamento. O perfil de metal expandido foi ampliado para uma escala gigantesca – um que trabalha com a rua. O perfil final é revestido em zinco, a fim de negociar os vales e picos da geometria.

Na escala urbana, o ritmo da geometria pode ser visto do ponto até a rua e também dos dois edifícios históricos adjacentes.

Na escala do edifício, as escadas de circulação interna são coordenadas com a geometria da fachada, ampliando a sensação de conexão com a circulação da rua.

O edifício está inserido através de uma parede envidraçada formado debaixo da escada de maior circulação, o que conduz ao centro de assistência estudantil, e depois continua até o espaço interno do campus conformando o pátio

A partir do hall de entrada, as escadas sobem através de uma série de espaços estudantis, onde os alunos podem se organizar em atividades de aprendizagem informal.

The interior courtyard space, to which this project provides half the boundary, (previous redevelopments provide the other half), is designed as a quiet space, with primarily solid walls in metal cladding, contains figurative windows which echo the generating geometry to the north.

O edifício também contém práticas sustentáveis. Estas incluem o conceito de design da fachada norte, o uso da ventilação natural e de modo misto para os espaços de circulação e águas pluviais colhidas do telhado, para o uso na irrigação em todo o campus.

Fonte: Dezeen

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s